Blog da FEAC

José Lario Zimmer

AOS CEDRENSES DE TODAS AS LATITUDES E LONGITUDES

AOS CEDRENSES DE TODAS AS LATITUDES E LONGITUDES
18 de Março de 2018

Legenda (Foto: 2º semestre de 1951 - Acervo da Família Oliveira):
1 – Rodovia que ligava Vila Oeste a Dionísio Cerqueira – atual Avenida Salgado Filho;
2 – Casa de José João Grando;
3 – Parada de ônibus e Comércio de Eugênio Schneiders e Beno Nós;
4 – Hotel (Polaco e Eberhardt);
5 – Comércio de Bruno Schuster;
6 – Bar e Bolão do Schuster;
7 – Oficina de Norberto e Alceno Niederauer;
8 – Salão de Baile (Família Kuhn);
9 – Atual Praça do Ginásio Lauter Weber; e
10 - Fiscal de estrada (Senhor Martingnago).


AOS CEDRENSES DE TODAS AS LATITUDES E LONGITUDES.

19 de março de 1950 – 19 de março de 2018.

Sessenta e oito (68) anos atrás no meio do sertão extremo-oestino catarinense iniciava a construção de um projeto de colonização.

Um grupo de pioneiros liderados por Alcides Volkweis e José Germano Link chegava ao então local, já com registro de batismo com o nome de CEDRO. Aqui, chegaram, conforme depoimentos verbais por mim colhidos, no dia anterior, dia 18 de março.

À margem do Riacho que com o nome de Cedro batizado pelo agrimensor que mediu o perímetro urbano senhor Theobaldo Dreyer, de saudosa memória, em função de ter encontrado três árvores exuberantes da espécie Cedro, madeira que sempre foi muito valorizada pelos artesãos e fabricantes de móveis.

Um pequeno rancho fora edificado para acolher os migrantes. Nesse local, o grupo se reuniu e sob a liderança de José Germano Link na manhã do dia 19 de março realizaram um pequeno culto em homenagem a São José, que era então reverenciado pela cultura católica praticada na região das Missões, Santa Rosa de onde eram procedentes os migrantes.

Já se encontrava no local o sr. José João Grando, cuja família ainda residia em Guaraciaba.

Assim, sob a égide da fé religiosa iniciou a vida da comunidade no dia de São José, cuja personalidade foi mais tarde nomeada como Padroeiro da Paróquia pelo Padre Balduíno Schneider, primeiro vigário com residência fixa na comunidade.

Dois anos depois, 1.953 chegaram nossos familiares estabelecendo-se em Cedro e meus pais Jacob Fredolino e Lydia Maria em Guarujá do Sul, cuja comunidade fora recém fundada.

Assim, folheando o livro das recordações arquivado no meu campo mental e fazendo uma avaliação do ânimo que imperava em todos os migrantes, em sua quase totalidade oriundos do Rio Grande do Sul, onde já participavam de comunidades organizadas me pergunto: Qual a razão que os levou a migrar para uma terra que tinha apenas Céu e Mato? E a resposta que encontrei foi buscar novas oportunidades para seus familiares, porque aqui era oferecida a venda de terras para cultivo a preços e formas de pagamento totalmente acessíveis, mesmo para aqueles que tinham poucos recursos, como incentivo para incentivar a colonização.

Todos tinham uma formação religiosa alicerçada numa fé profunda para encarar uma realidade totalmente desprovida de qualquer recurso. Para comprovar essa fé compartilho um pequeno depoimento que me foi feito há muitos anos atrás pelo amigo JOSÉ SOLDÁ, de saudosa memória, contou-me o seguinte:

“Quando decidiu vir morar aqui no meio do mato, atual Linha Santo Antônio, despediu-se do vigário de sua paróquia e levou uma pequena estátua de Santo Antônio que o padre benzeu e recomendou: Onde for morar faça uma pequena gruta e peça a proteção de Santo Antônio que o protegerá nas dificuldades. Ele então aproveitou o toco de um pinheiro escavou uma grutinha e lá colocou o santo protetor. “

Quem sabe cabe perguntar: ONDE ESTARIA ESTA ESTÁTUA ATUALMENTE?

E segundo ele, essa proteção foi de uma validade profunda, porque nada de extraordinário aconteceu, inclusive criou uma família saudável, séria e responsável. Isso prova a afirmação de Jesus quando disse:

“A FÉ REMOVE MONTANHAS. ”

Assim sugiro a todos que lerem esta mensagem concentrem-se neste dia na imagem de todos os pioneiros, não apenas da cidade, mas de todas as comunidades, lembrando, pais, avós, parentes que já atravessaram o Rio da Vida e encontram-se na outra dimensão, muitos dos quais ainda sentimentalmente ligados a todos nós e oferecendo uma PRECE DE GRATIDÃO pelo que realizaram.

A sua contribuição foi a causa primeira para que “CEDRO SE TORNASSE UMA COMUNIDADE QUE DEU CERTO”

Um fraternal abraço a todos.

J. Lario Zimmer.

Download PDF

Comente:
VEJA TAMBÉM
​UMA HOMENAGEM AOS PIONEIROS (II)

José Lario Zimmer

​UMA HOMENAGEM AOS PIONEIROS (II)

UMA HOMENAGEM AOS PIONEIROS (II). UM PIONEIRO CEDRENSE ESCREVEU. Caros internautas! Já informamos várias vezes que em nossa Casa da FEAC criamos o trabalho do CORREIO DO ALÉM. Todas as quintas-feiras durante a palestra feita para o público presente alguns médiuns da Casa permanecem numa sala reservada e recebem mensagens dos mais diferentes missivistas do Além. Essas mensagens têm por objetivo principal servir de NORTE, de despertar através de seu conteúdo para ampliar o conhecimento acerca de nossa ORIGEM e DESTINO, enfim o VERDADEIRO SENTIDO DA VIDA. Divulgamo-las com o objetivo de compartilhar esse conhecimento para que um maior número de pessoas tenha acesso a essas informações, cujo conhecimento não encontramos em nossos cursos acadêmicos tradicionais. Assim transcrevemos mais uma mensagem de um Cedrense que conta que esteve presente na noite das homenagens aos pioneiros. Ele ressalta e se queixa como a grande maioria de lá para cá do uso equivocado de seu tempo, voltado quase que totalmente na busca do TER em detrimento do SER. O primeiro tem o efeito transitório, o segundo constitui o tesouro que levamos para além da vida. UM PIONEIRO CEDRENSE ESCREVEU: Boa noite amigos! Com o coração repleto de amor e gratidão aos nossos Mentores e Mestres, venho deixar pequenas palavras de agradecimento. Sou filho deste chão, explico-me: Em última passagem na carne, aqui nestas terras habitei, vivi e fui feliz. Cheguei com os primeiros que nestas paragens selvagens e inóspitas, de forma corajosa chegaram para edificar a vida. Aqui tudo era um “Mar Verde”, a floresta mãe dadivosa nos acolheu, fornecendo sua carne, sua madeira para nossas casas, para nosso fogo, para sustentar-nos materialmente. Cabe dizer aos amigos que elevamos este povoado do nada, apenas vivido nas nossas mentes, projetando através de muito trabalho ao mundo concreto. Do nada, do vazio formos pedra a pedra, pau a pau, regado com nosso suor, às vezes nosso sangue, domando, construindo e expandindo. Desencarnei de um infarto fulminante, logo eu, que tanto me dediquei, ou melhor que tudo investi no “ter”, no “fazer”, almejando e projetando ao descanso da aposentadoria. Nesta encarnação nada fiz de bom para mim, projetando que mais tarde me permitiria.... Que engano o meu! Estudei menos, amei menos, dediquei-me menos às pessoas e posso dizer com tristeza, vivi menos. Não cuidei de hábitos e pensamentos que hoje sei aceleraram meu desencarne, obstaculizando minha caminhada evolutiva. Fui resgatado numa data vossa, onde um grande Grupo de chamados “Pioneiros” foram recolhidos aos hospitais e Colônias. Entrei em tratamento e em estudo, mergulhei em meus defeitos objetivando autoconhecimento e compreensão. Com a permissão de nossos Mentores vim dizer aos amigos que o autoconhecimento é a base da evolução, assim como a resposta aos nossos inúmeros problemas e mazelas. Portanto, estudo, autoconhecimento, caridade e trabalho são nossas curas. Estava presente ontem (do orbe) nas homenagens aos fundadores, assim como muitos e muitos nessa pequena cidade deixaram um pedaço de seu coração. Falo com o peito transbordando de amor e júbilo com pleno conhecimento da importância de cada ser, que trilhou uma parte da vida terrena neste solo abençoado. Saibam que do Astral todos oramos pela paz e harmonia deste pedaço de luz. Que a luz do estudo e do amor verdade emane desta pequena aldeia. Que os Mentores Superiores, Senhores da Luz e do Amor inundem todos vocês meus amigos e esta pequena Aldeia de Amor: São José do Cedro. Um pioneiro. Com votos de FELIZ EVOLUÇÃO pedimos que pensem nisso até a próxima.

UMA HOMENAGEM AOS PIONEIROS (I)

José Lario Zimmer

UMA HOMENAGEM AOS PIONEIROS (I)

São José do Cedro, 13 de julho de 2018. UMA HOMENAGEM AOS PIONEIROS. Estamos retornando aos nossos compartilhamentos informativos. Na noite do dia 10 último, a comunidade cedrense assistiu uma sessão solene da Câmara Municipal homenageando os PIONEIROS chegados à nossa comunidade desde o início da fundação -1950 até o ano de 1960. A iniciativa coube à vereadora Isoldi Will que teve aprovação unânime do legislativo. Os que estiveram presentes sentiram um ar de solidariedade e de saudosismo durante todo o evento. Dentre os homenageados e que receberam uma homenagem póstuma estavam relacionados muitos que já não estão mais fisicamente entre nós, mas que continuam a sua jornada na outra dimensão. MUITOS CEDRENSES QUE JÁ NÃO VIVEM DO LADO DE CÁ DA VIDA ESTIVERAM PRESENTES. Para você, caro internauta, esta afirmação pode parecer estranha. Porém, para quem recebe semanalmente informações daqueles que já partiram, a exemplo do que ocorre em nosso meio da FEAC tudo isso é perfeitamente normal. Na noite seguinte, conversando com uma TRABALHADORA DO ALÉM que se manifesta em nossos encontros fiz a seguinte pergunta: -Vocês tomaram conhecimento da homenagem aos pioneiros cedrenses realizada ontem à noite no clube local? -Sim. Para que vocês tenham uma ideia abriu-se no CAMPO ASTRAL do espaço interno do clube um grande auditório sobre posto ao auditório físico e todos os Cedrenses que tiveram permissão de suas hierarquias superiores se fizeram presente e vibraram com a homenagem. - Nós fizemos uma oração de gratidão a todos eles através da prece do Pai Nosso, isso foi importante? -Vocês não sabem ainda mensurar a importância da oração, especialmente da irradiação da energia que parte do Pai Nosso, por tratar-se da prece ensinada pelo próprio Mestre Jesus. Então prezados leitores! Isso evidencia quão próximos ainda se encontram nossos conterrâneos e a importância da geração de energia através da oração que endereçamos a todos os nossos parentes e amigos que continuam a sua vida na outra dimensão. CORREIO DO ALÉM RECEBE MENSAGEM DE UMA PARTEIRA CEDRENSE e de um PIONEIRO. Em nosso trabalho do Correio do Além, que ocorre todas às quintas-feiras foram recebidas na noite de ontem 12.07 cinco mensagens dentre as quais duas escritas, através de recepção mediúnica por psicografia de dois Cedrenses. Na noite da homenagem foi divulgada a importância de duas parteiras no começo da comunidade: MADALENA WILLERS e CATARINA DELLA FLORA. Foi informado que cada uma delas fez mais de 1.000 partos. Uma delas escreveu na noite de ontem a seguinte carta: “Meus queridos cedrenses! Estou muito feliz por estar nesta Casa e encontrar tantos irmãos conhecidos e talvez alguns que já tenha auxiliado para nascer e em outras situações. Sinto-me muito feliz e satisfeita por ter sido muito útil enquanto estava caminhando nesta cidade e no seu interior, socorrendo tantas famílias e mães desesperadas nas dores e aflições de parto e que só essas pessoas com prática e abençoadas podiam aliviar as dores. Foram muitos anos que fui abençoada para fazer essa caridade e mais abençoada ainda porque nunca, durante quase trinta (30) anos de trabalho tive a tristeza de nenhuma parturiente desencarnar por falta de socorro ou de auxílio da mão abençoada da parteira. Agradeço imensamente a Deus por ter sempre ouvido minhas preces de socorro e a saúde para auxiliar o próximo em suas necessidades. Peço a Deus que proteja e abençoe as crianças que passaram por minhas mãos que foram várias centenas e que sejam felizes em qualquer parte desse planeta e que lembrem de agradecer o dom da vida e eu as abençoo sempre. Com muito amo e carinho. Uma Parteira Cedrense. Nota: Como tínhamos apenas duas: Madalena Willers e Catarina Dellaflora em princípio deveria ser uma delas. Porém, como ela colocou que trabalhou durante 30 anos pode-se concluir que a mensagem é de D. Catarina Della Flora, porquanto a Dona Madalena não ficou tantos anos residindo em nossa comunidade. Registremos, contudo, às duas o nosso sentimento de gratidão pelo maravilhoso trabalho que prestaram para o nascimento dos Cedrenses. Na próxima divulgação estaremos divulgando a outra mensagem. Grande abraço a todos.

MENSAGEM PARA AS MÃES

José Lario Zimmer

MENSAGEM PARA AS MÃES

Prezadas mães! Nossa página EVOLUINDO quer associar-se a todas as homenagens que são prestadas às mães em seu dia especial. E para fazê-lo estamos compartilhando com todas e com todos os nossos prezados leitores o conteúdo de uma carta recebida na última quinta-feira em nosso Correio do Além e alusiva ao dia das mães. Pedimos que prestem atenção a alguns detalhes que essa mãe aborda: 1º. O testemunho de que a vida continua, mas como ela continua, ou seja, cada um chega do outro lado da vida da mesma forma como partiu daqui, com seus sentimentos e dores. 2º. Ressalta a importância do auxílio recebido quando ainda encarnada nos atendimentos espirituais que são prestados pela Casa. 3º. Enfatiza que o sentimento de mágoa ou rancor é profundamente prejudicial e desencadeia o desequilíbrio do corpo físico, produzindo doenças, inclusive o câncer. 4º. Relata o quadro que ela constata de muitas mães que no outro lado da vida sofrem os efeitos de comportamentos equivocados. Evidenciando que a Lei de Causa e Efeito é uma realidade não apenas do lado de cá da vida. 5º. Pede oração mencionando especialmente aquelas que foram abandonadas por seus familiares e continuam esquecidas na outra dimensão. Assim, pedimos que todos leiam e meditem no conteúdo que ela transmite, hoje já praticamente curada de seus males e todos possam ter a convicção que a oração endereçada aos nossos Entes queridos deve prosseguir, mesmo já tendo partido há longo tempo. Segue a mensagem: FRATERNIDADE ESPÍRITA AMIGOS DA COMUNIDADE- (FEAC) CORREIO DO ALÉM – 10.05.2018. MENSAGEM DE UMA MULHER CEDRENSE. Boa noite! De volta a esta Casa, mas hoje deste lado, não mais entre vocês. A permissão para que eu viesse até aqui para mandar esta carta por eu manifestar o desejo de agradecer aos trabalhadores desta Casa pelo auxílio quando ainda estava encarnada. Quando conheci algumas irmãs que faziam este trabalho de auxílio, algumas delas já não estão mais na Casa, mas minha gratidão será também para elas. Quando meu corpo manifestou o câncer fui trazida algumas vezes em uma maca, pois não tinha força para me locomover. Aqui nesta Casa, falo aqui, pois no momento me encontro no recinto, acompanhada pelos enfermeiros do Hospital que tenho estado para tratamento. Como dizia, acometida pela terrível doença chamada câncer. Nesta Casa fui auxiliada, primeiro com minhas dores físicas e em tratamento nas minhas dores da alma. Preciso dizer que o rancor e a mágoa desencadeiam a doença. Porém, com o auxílio espiritual enquanto encarnada descobri tantas coisas que não sabia que a minha religião não me ensinou, mas que em tempo pude iniciar o processo de perdão. Quando desencarnei ainda passei muito tempo em tratamento, sentia as dores do corpo e ainda revivia os momentos de desequilíbrio, pois a cura é um processo demorado, pois tantos anos com mágoa precisei do tempo necessário para a recuperação. Hoje vejo e sinto meu corpo em cura constante. Sinto a paz de espírito que há muito não sentia e meu sentimento de gratidão por esta Casa que me auxiliou enquanto encarnada e depois que desencarnei. Muitas vezes quando já desencarnada sentia medo e desespero, as chamadas recaídas, eu pedia para que me trouxessem para este lugar e aqui eu sempre era auxiliada e minhas dores eram aliviadas. Minha gratidão a todos e como mãe que precisei deixar meus filhos, quero dizer que nós, mesmo deste lado, nos dias das mães nos sentimos homenageadas e com o coração pulsando de amor por aqueles que ficaram. Neste dia, além de gratidão, eu tenho um pedido para esta Casa de cura e luz: Incluam as mães desencarnadas nas preces desta Casa. Muitas ainda estão perdidas, muitas com muito remorso pela conduta equivocada de mãe. Algumas que abandonaram seus filhos sofrem pelo ato cometido. Estas estão em estado de desespero. Orem por elas. Temos a companhia de mães que foram abandonadas pelos seus filhos quando estavam na terra e aqui nem são lembradas, estas são as mais infelizes e com maior dificuldade de entendimento. Como sei que esta Casa é de auxilio e cura peço por elas. Diminuam a dor destas mães, vocês em oração têm operado verdadeiros milagres no auxílio aos doentes e infelizes deste lado. Gratidão a todos e não apaguem esta luz irradia para este lado. IRENE BANFI. Enviamos o nosso fraternal abraço a todas as mães com votos de Feliz Evolução. Lario!

CADASTRE-SE E RECEBA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS NO SEU E-MAIL.

Todos os direitos reservados. FEAC Fraternidade Espírita Amigos da Comunidade. 2015

Desenvolvido por: DBlinks