Vídeos FEAC

VEJA TAMBÉM
Mensagem do Padre Reus

José Lario Zimmer

Mensagem do Padre Reus

FEAC- CORREIO DO ALÉM. Mensagem do PADRE REUS. 08.08.2019. Em nosso trabalho extraordinário – CORREIO DO ALÉM- recebemos na noite de ontem, entre outras psicografias, mais uma psicografia do Padre Reus. Quem foi o Padre Reus? Nascido na Alemanha, região da Baviera no dia 10 de julho de 1.868, desencarnou na cidade de São Leopoldo em 21 de julho de 1947. Seu nome João Batista Reus. Sua biografia informa que logo após ser ordenado sacerdote, na Ordem dos Padre Jesuítas na Alemanha foi enviado para o Brasil, cidade de São Leopoldo onde existia o grande colégio dos Padre Jesuítas no Rio Grande do Sul. Conta-se que durante as missas ele tinha visões, e segundo nos contou o Padre Schneider, que foi seu aluno, chegava a levitar. Criou-se uma grande corrente de devoção em torno de sua personalidade, especialmente no Rio Grande do Sul. O Padre Balduíno Schneider, era seu admirador e devoto, em acordo com o Sr. Ruy Lucchese que era o colonizador da área hoje abrangida pela comunidade de Padre Reus, sugeriu e foi aceito em sua homenagem dar o nome de COMUNIDADE DE PADRE REUS. Grande ainda é o número de devotos que informam terem alcançado graças quando da invocação de sua intercessão. No Vaticano, ainda segundo se informa, está em andamento um processo que pleiteia a sua beatificação. Assim, com alegria recebemos a sua mensagem na noite de ontem quando do trabalho no correio do Além, mensagem séria e orientadora para todos nós. Razão pela qual temos o prazer de compartilhá-la com nossos prezados leitores. PADRE REUS ESCREVEU: Irmãos! Unidos pela fé. Para alguns parece confuso, para outros impossível e para os crentes algo inexplicável, mas que pela fé se concretiza. É isso. Muitos irmãos já desencarnados são surpreendidos quando se deparam com um padre que veio ao encontro e estende a mão para oferecer ajuda. Alguns não entendem, querem ir embora, chamam a família, já, tantos outros, suspiram aliviados porque alguém de seu conhecimento lhes ajuda. Inúmeros irmãos chegam deste lado e ao despertar, sem rumo e direção no coração e na mente toda a história vivida, aguardam uma explicação e em certos casos missas tem reunido pessoas para servir-lhes de suporte e acolhê-los, libertando-as das amarras terrestres, ou mostrando caminhos para isso. Cada um que possui a fé, a esperança, o amor próprio e fraternal é bem recebido e sua humildade abre a porta da luz e da cura. Embora o conhecimento acerca da continuidade da vida seja pouco, muitos aceitam somente aqui essa realidade, porque durante a vida material estiveram presos nessa materialidade. E conosco não é muito diferente, cada qual chega aqui com sua bagagem de conhecimento que tinha aí. Com o tempo aceitação e orientação espiritual propiciam o avanço no entendimento. Enquanto na terra a evolução material cresce, a espiritual pouco avança, porque a desorganização do tempo tem preenchido o espaço de cada um, não deixando lacunas para estudo ou aprofundamento do conhecimento. A superficialidade das coisas terrenas torna as pessoas levianas e suscetíveis a tudo, menos, ao que exige conhecimento sobre si e seu destino. Então, cada qual necessita olhar para si. Enquanto isso não chegar ao coração e à mente dos irmãos se está distante de um avanço moral. Ainda se olha para fora, para o outro, enquanto se projeta dessa forma o conhecimento elevado sobre a vida e sua continuidade não encontra lá espaços para avançar. Desejo muito que vossa fé abrace o conhecimento, ilumine as mentes aberta e irradie sabedoria. Padre Reus. Reflexão: O conteúdo da mensagem deixa muito claro que a busca espiritual da humanidade é muito menor do que o avanço da tecnologia material. Que essa condição prejudica a todos quando despertam do outro lado e se deparam com uma realidade desconhecida. Tudo isso não significa que o ser humano deva afastar-se de seus compromissos profissionais que lhe garantem a manutenção física. O que todas as mensagens sugerem é que as pessoas dividam o tempo de tal forma que a busca do conhecimento espiritual não seja prejudicada pela única direção do campo material. Perguntem sempre: O QUE ESTOU FAZENDO AQUI NA TERRA? E depois, quando daqui partir, para onde vou? Com votos de feliz evolução deixo o me fraternal abraço. J. Lario Zimmer.

Mensagem de um Espírito que se identifica com o nome de JAIR LISBOA

José Lario Zimmer

Mensagem de um Espírito que se identifica com o nome de JAIR LISBOA

Data: 06/08/2019 FEAC – SÃO JOSÉ DO CEDRO. CORREIO DO ALÉM. Mensagem de um Espírito que se identifica com o nome de JAIR LISBOA. Caros internautas! Todas as mensagens que recebemos no Correio do Além tem um cunho informativo e educativo. Todas as mensagens estão voltadas para compartilhar informações que possam assegurar aos leitores, não apenas a certeza de que a vida continua, mas especialmente de como a vida continua. Porquanto a informação que recebemos de nossos estudos religiosos é omissa com essa realidade. A grande omissão e lacuna que constatamos consiste no fato de não saber a verdadeira razão pela qual nascemos na terra. Assim, faça essa pergunta a si mesmo e tente responde-la, descobrirá que não encontra uma resposta racionalmente adequada porque lhe faltam informações. Assim, se o missivista da mensagem que transcrevemos tivesse essa informação, certamente não teria escolhido a forma de aproveitar a vida como ele relata que escolheu e poderia ter evitado passar pelo sofrimento que precisou passar para diluir a consequência dessa escolha equivocada. Segue o conteúdo da saga desse irmão. Boa noite! Ah! Se eu soubesse que a vida continuava assim, desta forma, que quando se morre, se vive e que ninguém se livra tão fácil do que está ligado a seu comportamento na terra. Eu sempre acreditei que era para aproveitar a vida e para mim aproveitar a vida era comer, beber e fazer minhas farras com os amigos. Trabalhei sim por um bom tempo, vivia até bem com minha família, mas como vivia mais para a festa do que para o trabalho, minha esposa não aguentou e não aceitou mais viver comigo; as filhas seguiram a mãe e eu fiquei com a minha parte nos bens que tínhamos, que não demorei em esbanjar tudo. Dizia: Agora estou solteiro e não tenho mais ninguém para me dizer o que devo fazer. Elas escolheram viver sem a minha presença. Segui minha vida, não trabalhei mais, vivia uma vida na noite, me divertia, assim eu pensava. Meus amigos sempre ajeitando um lugar para festar como eu dizia, mas com o tempo veio a doença e o abandono, não sobrou nenhum amigo. Não demorou muito e fiquei um tempo hospitalizado, minhas filhas até vieram me ver bem no final, não por amor, mais por pena por eu ter seguido o caminho da perdição. Então chegou um dia em que chamei pela morte e ela chegou. O susto foi tão grande quando depois de tanto sofrimento pelo câncer que me comia vivo e mesmo morto, sentia toda a dor. Gritava eu que queria morrer para parar de sofrer e a dor parecia aumentar. Implorei ajuda, chorava como uma criança e pedia pela minha mãe, pois ela também já havia morrido. Não entendia como eu sentia dor se o meu corpo estava morto? Não entendia, sofria muito, gemia, chorava e adormeci. Algum tempo depois acordei e ao abrir os olhos vi minha mãe, ela dizia: Filho quanto eu rezei por você enquanto você achava que estava aproveitando a vida nos exageros terrenos. Meu filho amado, não poderei ficar com você, porque precisa ainda algum tempo para sua recuperação, mas peço reze muito, peça perdão pelos erros cometidos e com o tempo serás auxiliado e então poderemos nos ver. Vocês não imaginam os anos de ranger de dentes que passei, o remorso me corroía. Joguei fora minha família, minha saúde, minha vida por achar que estava aproveitando a vida. Por isso estou aqui na condição de pai, esposa, amigo, arrependido da forma como eu vivi na terra. Se eu puder dar um conselho, cuidem da saúde de vocês, cuidem da família, a vida não tem sentido se não pensarmos que um dia iremos partir e tudo o que fizemos de mal para nós e para os outros terá que ser reparado. Adeus! De um irmão que só soube da continuação da vida quando acordou da morte. JAIR LISBOA. REFLEXÃO. Leiam, meditem e avaliem o conteúdo desse depoimento. E se acharem útil compartilhem com seus amigos. Um grande e fraternal abraço com votos de feliz evolução. J. Lario Zimmer.

FUNCIONAMENTO DAS COMUNICAÇÕES NO CORREIO DO ALÉM

José Lario Zimmer

FUNCIONAMENTO DAS COMUNICAÇÕES NO CORREIO DO ALÉM

FEAC – 02 de julho de 2019. Caros Internautas! Recebemos perguntas de nossos leitores, para os quais a comunicação entre Dois Mundos ainda constitui uma grande novidade, e por isso, sobram dúvidas acerca de sua realidade e então pedem que possamos dar uma explicação como ocorrem as comunicações. Assim, VAMOS HOJE DAR UMA EXPLICAÇÃO SOBRE O FUNCIONAMENTO DAS COMUNICAÇÕES NO CORREIO DO ALÉM, cujo entendimentos adquirimos através do ensinamento dos próprios Espíritos comunicantes. 1.O sistema de comunicação é similar ao modelo e sistema de comunicação entre nós outros encarnados, vivos do lado de cá. 2. Os nossos irmãos falecidos nós OS chamamos de ESPÍRITOS, porém nós também somos ESPÍRITOS, a diferença está que nós estamos presos a um corpo físico, ainda muito limitado e eles estão fora desse corpo denso com um outro CORPO BEM MAIS SUTIL. 3. Como funciona a comunicação verbal entre nós os vivos do lado de cá do Rio da Vida? Vamos dar um exemplo: Quando eu estou falando, como chega a minha voz até vocês? Através de ondas eletromagnéticas. Vocês têm os ouvidos, sistema auditivo que captam essas ondas, transferem as ondas para o cérebro e o cérebro decodifica as ondas eletromagnéticas carregadas com as minhas palavras abrindo o arquivo do cérebro para o entendimento. Ora, se eu disser escreva o seu nome, o que ocorre? a pessoa ouviu se ela tiver caneta e papel o cérebro através do sistema neurológico ordena para a mão escrever. O que pode acontecer com a recepção e a decodificação das minhas palavras através das ondas eletromagnéticas por exemplo: a) Se o aparelho auditivo não funcionar, a pessoa sendo surda ela não recebe essas ondas. b) Se as palavras emitidas vierem num código desconhecido do receptor ele não tem como decodificá-las porque ele desconhece o código. Seu eu falar em alemão, apenas aqueles que têm em seu arquivo o código do vocabulário da língua alemã vai decodificar o que eu escrevo. Se alguém aqui vier falar em JAPONEZ, todos nós vamos captar as palavras por ele faladas através das mesmas ondas eletromagnéticas, porém, o nosso cérebro desconhece o significado do código da língua japonesa assim, não entenderemos patavina do que ele falar. VAMOS AGORA PARA A COMUNICAÇÃO ESPIRITUAL. 1 Ela tem a possibilidade de ocorrer entre dois (2) espíritos. Um do lado de lá e outro do lado de cá, mas ambos são espíritos, porém utilizando equipamentos diferentes. 2.Para que isso ocorra são necessárias algumas condições: a) Tanto o encarnado quanto o desencarnado precisa admitir que isso será possível. Assim, até o início do século XX, quando ainda não eram conhecidas as ondas eletromagnéticas do rádio – a humanidade não admitia que pudesse ocorrer a comunicação à distância. Temos o grande exemplo das dificuldades encontradas pelo Padre Roberto Landel de Moura. b) 2º. Admitida a possibilidade da comunicação precisamos do APARELHO receptor. c) No caso da COMUNICAÇÃO COM O MUNDO ESPIRITUAL precisamos ter uma pessoa com condições CEREBRAIS que permitam captar as ondas emitidas pelo ESPÍRITO COMUNICANTE e decodificá-las traduzindo-as em palavras da mesma forma como se as estivesse ouvindo com o OUVIDO FÍSICO. E, segundo pesquisas científicas, a GLÂNDULA PINEAL é a antena receptora do encarnado. d) Ainda não são todas as pessoas que tem essa aptidão. Alguns mais outros menos e a grande maioria não possui nenhuma aptidão. Ou seja, o seu EQUIPAMENTO CEREBRAL está nas mesmas condições de um SURDO para a voz entre nós outros. e) As pessoas com essa aptidão precisam treinar, quanto mais elas praticarem mais prática adquirirão para receber e decodificar as mensagens. DADA ESSA EXPLICAÇÃO PODEMOS ENTENDER COMO FUNCIONA O CORREIO DO ALÉM. 1.O Amigo Espiritual que é o comunicante aproxima-se do médium e é ajustada a frequência entre ambos para facilitar a comunicação. 2. Ele acopla, se liga no CAMPO ELETROMAGNÉTICO do médium receptor e emite as palavras ATRAVÉS DOS ESTÍMULOS ELETRO MAGNÉTICOS que são recebidos, não pelo ouvido do médium, mas diretamente pelo seu ARQUIVO CEREBRAL que as recebe, decodifica, traduz e escreve. Essa é a forma mais comum. Existem outras formas. 3. Vejam então como é complexo tudo isso. Isso precisa de muito treinamento, boa vontade, disposição, grande sentimento de caridade por parte do MÉDIUM. 4. Para que ele se torne um receptor de informações cada vez mais eficiente ele modifica algumas formas de ser. Por exemplo: Os nossos instrutores recomendam que em dia de trabalho mediúnico a pessoa tome muita água, porque a água dilui a carga tóxica, negativa existente em nosso organismo e proveniente de nossos atritos e incômodos no dia a dia. 5. Recomendam que o médium não fume, não beba e não coma carne vermelha nesse dia e de preferência que lentamente exclua a carne vermelha de seu cardápio. Aqui já foi falado do porquê. Assim concluindo e resumindo: A COMUNICAÇÃO NÃO SÓ É POSSÍVEL, MAS ELA FAZ PARTE DA REALIDADE DE NOSSA CASA, e nos dá a prova fática de que: 1º. A VIDA CONTINUA APÓS A MORTE DO CORPO FÍSICO. 2º. Através dela muitos Irmãos já desencarnados e vivendo na OUTRA DIMENSÃO conseguiram ao longo das décadas enviar conteúdo informativo para que nós outros do lado de cá pudéssemos entender efetivamente a verdadeira razão pela qual nascemos na terra. 3º. As comunicações sempre existiram, porém, elas ganharam uma dimensão fundamentada através da Obra de Allan Kardec que foi toda transmitida pelos Espíritos Superiores. E no Brasil, devemos a Francisco Cândido Xavier, a gratidão por tê-la tornado cabalmente provada. A todos quantos duvidam da viabilidade das comunicações entre Dois Mundos sugerimos ler o primeiro livro psicografado por Chico Xavier, dentre os mais de 400, com o título PARNASO DO ALÉM TÚMULO. Nesta obra 56 poetas brasileiros e portugueses ditam suas poesias cada um dentro de seu próprio estilo adotado em vida do lado de cá. Escrevem pelas mãos de Chico: Casemiro de Abreu – Oh! Que clarão dentro dalma. Constantemente cismando. O pensamento sonhando E o coração a cantar. Na delicada harmonia Que nascia da beleza Do verde da natureza Do verde do lindo mar. Castro Alves. Há mistérios peregrinos No mistério dos destinos Que nos mandam renascer; Da luz do Criador nascemos, Múltiplas vidas vivemos, Para à mesma luz volver. Augusto dos Anjos. Descansa agora vibrião das ruínas, Esquece o verme, as carnes, os estrumes, Retempera-te em meio dos perfumes Cantando a luz das amplidões divinas. Para mim causou uma admiração muito grande das várias poesias ditadas por Augusto dos Anjos com uma semelhança extraordinária das que ele escreveu em vida e publicadas no livro EU e OUTRAS POESIAS. Lembramos ainda que Chico escreveu essa obra com apenas 17 anos de idade e possuía somente o curso primário, no ano de 1.927, porém, publicada pela Federação Espírita Brasileira somente no ano de 1.932. Compartilho essas informações para servir de prova de que Chico Xavier não poderia de sua própria lavra escrever essa obra maravilhosa. Aliás, confesso que quando iniciei a minha busca, foi essa obra que teve para mim uma contribuição fundamental para admitir os fundamentos da Doutrina Espírita que foram obtidos por Allan Kardec através da comunicação entre Dois Mundos. Com votos de FELIZ EVOLUÇÃO envio a todos o meu fraternal abraço. J.Lario Zimmer.

ALERTA DE UM CAMINHONEIRO

José Lario Zimmer

ALERTA DE UM CAMINHONEIRO

Caros Internautas! 29 de junho de 2019. A mensagem psicográfica que transcrevemos mostra que no curto espaço de tempo que vivemos encarnados necessitamos organizar o nosso tempo, não apenas priorizando o lado material. A matéria é meio e o fim é o progresso evolutivo espiritual. Joanna de Angelis, mentora de Divaldo Franco nos lega essa pérola de definição acerca da verdadeira razão pela qual estamos encarnados na Terra, cuja percepção ainda é desconhecida da maioria da humanidade. Quando ela diz: “A Fatalidade da lei Divina é a perfeição do Espírito. Alcançá-la é a proposta da vida. Como conseguir, é a opção de cada qual” (Joanna de Ângelis). A mensagem que a seguir transcrevemos evidencia que nosso irmão motorista se inseria no número daqueles que colocou o trabalho como fim, esquecendo de dedicar um tempo maior para sua saúde, sua família e sua essência espiritual. Que cada um de nossos prezados leitores possa avaliar e perguntar: E EU? Como estou agindo? Por que nasci na terra? A minha atividade e busca material é um MEIO ou é um FIM? Assim compartilhamos o depoimento DE UM CAMINHONEIRO QUE SERVE COMO ALERTA. “Boa noite! Sempre fui muito saudável e trabalhava muito e não me preocupava com minha saúde. Pensava que quando envelhecer vou preocupar-me com isso. Porém, um dia senti uma pressão no peito parecia que ardia, um mal-estar súbito. Pensei em parar o caminhão e dar uma aliviada na dor no peito. Tomei uns goles de água e parecia melhorar aí pensei vou tocar até chegar no próximo posto e aí parar, porque já estou me sentindo melhor. Foi grande o susto quando percebi que já não conseguia ver os outros carros, a visão estava nublada e aí tudo escureceu. Um grande barulho e não vi e senti mais nada. Quanto tempo passou não sei precisar agora, mas foram alguns dias. Acordei, estava num hospital. Apesar de estar todo machucado quase não sentia dor. Mas o lugar era muito estranho. Tentei identificar alguém conhecido e não via nenhum rosto familiar. Apenas algumas pessoas com as mesmas vestes que usava. Alguns minutos se passaram e então uma senhora muito sorridente se aproximou da minha cama, olhou intensamente em meus olhos e novamente sorriu. Então perguntei onde estou? Fizeram-me curativos, o que aconteceu? Que lugar é este? Com muita mansuetude ela respondeu: Estás num hospital, sofreste um acidente de trânsito, seu caminhão foi de encontro com uma carreta e ambos os motoristas morreram. Que motoristas perguntei? Os que se envolveram. Lamento a morte deles falei e quem foi o culpado? Espero que não tenha sido eu. A revelação foi dolorosa e soube que o culpado fora eu. Falei em tom desesperador: Vou ajudar os familiares deviam ser pais de família como eu. Tinham esposa e filhos? O outro era um rapaz solteiro respondeu. Balbuciei, menos mal não deixou filhos. A senhora respondeu: Sim, mas deixou pais. Mas a senhora falou que ambos morreram. E o outro a quem se referiu tinha filhos? Sim tinha ou melhor tem filhos são dois meninos um de 10 e outro de 6 anos. Ah! Então como eu, porque eu também tenho dois filhos com essas idades. Ela pegou minhas mãos e relatou tudo o que havia ocorrido e então soube que era eu o outro que havia morrido também. O desespero foi grande, sofri, chorei e a dor da saudade era imensa. Ela tentava me acalmar e eu gritava aos prantos quero ver meus filhos e minha esposa. Ela explicou que como havia partido não seria possível naquele momento. Consegui me acalmar e comecei fazer uma retrospectiva da minha vida. Só soubera trabalhar, nem ao menos eu arrumava tempo para fazer sequer um exame de saúde em toda a minha vida de 45 anos e agora? Estava morto. Mesmo aqui a simpática senhora me explicava sobre a morte ainda assim não conseguia aceitar a partida tão cedo. Tudo o que sobrou foi um amontoado de bens e um grande vazio na vida dos meus filhos que pouco conviveram com o pai que estava sempre na estrada trabalhando sem parar. Minha mensagem hoje é: PAIS! APROVEITEM A OPORTUNIDADE DA CONVIVÊNCIA FAMILIAR. PODEM TRABALHAR E DEVEM TRABALHAR, PORÉM, TIREM AGUNS DIAS PARA CUIDAR DOS FILHOS. POIS QUANDO A VERDADE NOS É REVELADA A DOR E A SAUDADE TOMA CONTA DE NÓS. O REMORSO É O NOSSO MAIOR SOFRIMENTO ELE É QUE NOS ACUSA DOS ERROS COMETIDOS. Assina: Álvaro de Matos – Um caminhoneiro que não chegou no destino, mas chegou no fim da estrada.” Com um fraternal abraço desejo a todos FELIZ EVOLUÇÃO. J. Lario Zimmer.

Todos os direitos reservados. FEAC Fraternidade Espírita Amigos da Comunidade. 2015

Desenvolvido por: DBlinks